consultoria

consultoria

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador

O projeto canto no berçário /maternalzinho e jardim Sugestões de cantos de atividades diversificadas (podendo ser na sala de convívio, solário, área externa): • Cantinho da Leitura: Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador Foto acervo Professora Elisângela Melo Possui livros de histórias infantis diversas adequadas à faixa etária das crianças, dispostos no colchão denominado “Cantinho da Leitura”. Trabalhar com esse cantinho estimula o interesse dos bebês pelos livros e auxiliar em seu processo de alfabetização e o gosto pela leitura podendo torná-lo um futuro leitor. Podemos alternar momentos de contação de histórias pela própria professora com momentos em que os próprios bebês possam olhar os livros e contar suas próprias histórias através das figuras trabalhadas (associação). Poderá ainda alternar os livros infantis com livros de contos, sem texto, gibis, dentre outros; Cantinho dos Brinquedos e sucatas: Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador Foto acervo Professora Elisângela Melo Uma caixa com diversos brinquedos para os bebês desenvolverem brincadeiras livres ou orientadas pela professora. Ora os bebês brincam com uma caixa de brinquedos que possuem bonecas, carrinhos, miniaturas e outros; ora brincam com sucatas, onde os bebês desenvolvem a sua criatividade através da construção de objetos diversos usando sua imaginação e trabalhando também sua coordenação motora, além de trabalhar a socialização e também o respeito pelo outro visto que os bebês aprenderão a compartilhar e dividir seus brinquedos e sucatas com os outros coleguinhas. Cantinho da movimentação (circuito): Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador Foto acervo Professora Elisângela Melo Espaço para subir, levantar, rolar, cair, andar, rastejar, caminhar... Locomoção livre ou orientadas pela professora. Canto “Faça Você Mesmo”: A intenção é que o bebê participe da construção de seus próprios brinquedos e objetos para brincar (massinha, dobradura, uso do papel, escultura...). Produzir massinhas (massa caseira) com cores diversificadas onde os bebês podem se sentar no chão e usar sua imaginação criando as mais variadas formas de objetos (Na verdade o Berçário I, come a massinha kkkk). Nesse cantinho é possível trabalhar com as cores primárias e secundárias, a socialização, a coordenação motora fina que é a capacidade de usar de forma precisa os movimentos dos pequenos músculos Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador Foto acervo Professora Elisângela Melo Cantinho dos Jogos Pedagógicos: Jogos Pedagógicos diversos como, por exemplo, quebra-cabeças, jogos de encaixe e da memória e muitos outros. Cantinho das Artes: Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador Foto acervo Professora Elisângela Melo Nesse cantinho os bebês realizam atividades diversas que exigem maior concentração e auxílio da professora. Pode ser uma atividade de desenho, pintura, apreciação de obra de arte, recorte, colagem e outros. Cantinho da Música: Produção de sons, construção de instrumentos musicais (recicláveis) e CDs com diferentes estilos musicais para que os bebês possam ter acesso a diferentes tipos de músicas. Trabalhar com os bebês a dança desenvolvendo assim sua expressão corporal. Cantinho das Dramatizações ou faz de conta: Baú ou caixa com chapéus, óculos, fantasias, perucas, máscaras, bichos de pelúcia, tecidos. A professora pode criar junto com os bebês personagens, histórias diversas e cabanas Cantinho do Cinema: Projeto Cantos Sugestões de cantos de atividades diversificadas Espaço do Educador Foto acervo Professora Elisângela Melo É o momento em que os bebês irão se entreter com filmes diversos adequados a faixa etária. Cantinho do sono: Espaço aconchegante para descansar e / ou dormir.

Lista de Estratégias com Objetivos para Turmas do Berçário

Lista de Estratégias com Objetivos para Turmas do Berçário
A professora Elisângela Melo, nos enviou um material maravilhoso que certamente contribuirá com sua prática pedagógica, trata-se de uma lista de estratégias para turmas de Berçários com ideias de como montar atividades interessantes e com objetivos listados abaixo. Lista de Estartégias com Objetivos para Turmas do Berçário 1- Piscinas das Sensações Objetivo: Desenvolver o tato, paladar, olfato, coordenação motora (preensão manual), socialização com o grupo, proporcionar ao bebê diferentes sensações. Piscina de macarrão Piscina pequena redonda 3 Kg de macarrão colorido Água suficiente para encher a piscina Piscina de sagu 3 Kg de sagu 1 L de groselha Piscina de gelatina 10 L de gelatina colorida Piscina de aveia 10 Kg de aveia em flocos 2- Tapete das sensações Objetivo: Proporcionar ao bebê o contato com novas texturas e autonomia da exploração, tato (textura), visão (diversidade de cores). Confeccionar um tapete de 2x2m com os seguintes materiais: Jeans Cetim Gorgorão Veludo Soft Retalhos de malha com bolinhas de isopor no seu interior EVA Espuma Renda Toalha de banho Plástico com gel 3-Casinha de celofane Objetivo: Proporcionar ao bebê diferentes percepções de cores, estimulando a sua visão. Materiais: Barraca infantil Papeis celofane coloridos 4- Bolinhas e quadrados Objetivo: Propiciar ao bebê o desenvolvimento da coordenação motora, do tato e da visão. Materiais: Bolas e quadrados de diferentes texturas, tamanhos, cores e materiais como plásticos, borracha, tecidos e espuma. 5- Fantoches, instrumentos musicais, rodas de histórias e músicas Objetivo: Propiciar ao bebê o desenvolvimento da coordenação motora e da audição Materiais: Fantoches de animais e diferentes personagens. Instrumentos musicais de plástico. 6- Sachê de odores Objetivo: Propiciar ao bebê o desenvolvimento do olfato com a diversidade de aromas. Materiais: Saquinhos de pano para o bebê sentir o cheiro dos materiais que estarão no seu interior. Pó de café Achocolatado em pó Sucos em pó Ervas 7-Arte com mingau Objetivo: Propiciar ao bebê o desenvolvimento da capacidade de se locomover explorando o espaço e as diferentes texturas, incentivando as várias possibilidades de movimento e aprimorando o tato. Materiais: Amido de milho Corante alimentar Água 8- Hoje é dia de novidade Objetivo: Propiciar o desenvolvimento do tato, audição e visão com a exploração e descoberta das diferentes formas de manuseio dos objetos, além da socialização com a troca dos materiais entre as crianças. Materiais: 1 Caixa Objetos com diversas formas, texturas e tamanhos Bexiga com um pouco de água dentro Pedaços de conduíte Rolos de papel toalha pintados ou encapados Luvas cirúrgicas com talco dentro Argolas Potes de filme fotográfico com miçangas, Garrafas PET pequenas com pedaços de papeis coloridos, Espelhinhos Chocalhos Tampas de vasilhas Sachês 9- Chuvinha de papel Objetivo: Propiciar a socialização, o desenvolvimento da coordenação motora, tato e visão com o manuseio das diferentes texturas dos materiais. Materiais: Revistas Papéis coloridos (cartolina, laminado, espelho) Jornais velhos 10- Cabaninha transparente Objetivo: Propiciar o desenvolvimento do tato, visão e audição, com a exploração de diferentes sons e efeitos visuais, com o uso de transparências, cores e texturas; ter controle motor e limites corporais em espaços pequenos, se movimentar e adequar a um espaço que muda de forma quando manipulado. Materiais: Tule Papel celofane Bambolê Cola Tesoura Elástico Barbante Fita dupla face ou crepe Pequenos ganchos de metal

Atividade Coordenação Motora com Material Manipulável Educação Infantil

Atividade Coordenação Motora com Material Manipulável Educação Infantil Esta é uma atividade muitos simples de ser preparada e pode ser utilizada nas diversas faixas da Educação Infantil. Além de desenvolver a coordenação motora fina, auxilia na capacidade de atenção e concentração da criança. A atividade consiste em que a criança passe a fita por dentro de diversos pedaços de rolo de papel até formar um grande colar de contas. Atividade Coordenação Motora com Material Manipulável Educação Infantil Você só vai precisar : Rolo de papel alumínio, papel, toalha ou papel higiênico Faca Tesoura TNT 1- Corte o rolo de papel em pedaços iguais. para cortar rolo de papel alumínio a faca é mais indicada. Utilizei a faca para medir os pedaços ... Cada duas medidas da faca me dava um pedaço razoável de rolo. 2- Corte uma fita de TNT com espessura de um dedo. Está pronto! Esta mesma atividade pode ser utilizada que o professor realiza uma atividade de classificação , para isto basta pintar os rolinhos de modo que cada um tenha um par e estimular as crianças para que formem o colar a partir de pares de cores. À medida que o professor for percebendo avanços poderá aumentar o número de peças ou formar outros padrões adicionando elementos a rolos da mesma cor de modo que a criança precise classificar não apenas por cor, mas também por padrão. Pode -se ainda colar materiais nos rolos de modo a criar diferentes texturas. Cole, areia, alpiste, pó de serra, lixa, camurça, algodão, etc... Como vêem esta atividade pode ser aplicada desde crianças de berçário até os bem maiores da Educação Infantil.

Projeto Acolhimento e Adaptação Berçário

Projeto Acolhimento e Adaptação Berçário
Este é um projeto muito especial enviado pelas professoras Doralice Chaves e Elisângela Melo do ... CEI JARDIM SÃO VICENTE EDUCANDO PARA UM MUNDO MELHOR BERÇÁRIO II A ADAPTAÇÃO COM MUITA DIVERSÃO! NOME: Adaptação com muita diversão! MODALIDADE ORGANIZATIVA: Projeto CAMPO DE EXPERIÊNCIA: Cuidar de si – equilíbrio emocional IDENTIFICAÇÃO DO GRUPO OU PÚBLICO ALVO: BERÇÁRIOS II - A, B, C e D com os pais / responsáveis pelas crianças. Projeto Acolhimento e Adaptação Berçário JUSTIFICATIVA: Com o novo ano letivo que começa, dá-se início a readaptação das crianças que já frequentavam a escola e também a adaptação das crianças novas. São muitas as novidades: professoras, sala de convívio, colegas novos, etc. E para fazermos desse período o mais agradável possível, pensamos em um projeto que reunisse atividades interessantes, muito aconchego, ambiente acolhedor e acima de tudo dedicação, amor, carinho e paciência por parte das professoras, sendo muito importante o entendimento sobre o que é adaptação e como se dá esse período de tantos desafios. “Marcado por encontros e desencontros, a adaptação escolar é o momento em que a criança e seus familiares passam a criar com a escola relações afetivas destinadas a favorecer a construção de um mundo social mais amplo em que estejam presentes muitas conquistas e aprendizagens”. (Luciana Wolker da Silva) “Como adaptação e separação caminham juntas, o ingresso na escola tende a gerar ansiedade. Assim é importante que este período se organize de forma gradual, com pais orientados e seguros acerca do que esperam para os filhos que ingressam na escola, para que esse sentimento seja entendido, discutido e superado pelos envolvidos”. (Luciana Wolker da Silva). Nesse sentido, consideramos importantíssima a parceria e a interação família/ escola para que haja a construção de laços saudáveis favoráveis a troca de vivências e ao pleno desenvolvimento da criança, sendo ela o principal sujeito da adaptação. Sabemos que a confiança e a segurança dos pais vão sendo construídas à medida em que vão conhecendo as professoras e o seu trabalho, por isso desejamos que esse período seja de muita parceria, compreensão, carinho e confiança. TEMPO PREVISTO: ____/_____/ 201 até ____/_____/201 , sendo: a) CRIANÇAS INICIANTES: Duas crianças, por semana, de cada grupo com horário reduzido (9:00 às 15:00 h) para que possam se adaptar ao espaço e pessoas, recebendo atenção individualizada e oportunidade de se adaptar de forma mais tranquila. A escolha das crianças obedecerá a critérios que consideramos adequados à adaptação das crianças, sendo: ü Crianças que residem na mesma casa farão adaptação no mesmo período; ü Crianças matriculadas posteriormente ao planejado, farão a adaptação por ordem de matricula; ü A criança que perder o período reservado exclusivamente a ela, deverá ficar para o final, para garantir o direito de todas. OBJETIVOS DIDÁTICOS: ü Propiciar um ambiente acolhedor e seguro para a criança, possibilitando um pleno desenvolvimento físico, emocional e social; OBJETIVOS COMPARTILHADOS COM OS PAIS E AS CRIANÇAS: ü Familiarização das crianças com: as professoras, funcionários , outras crianças, com os espaços e ambientes, com a rotina; ü Familiarização das professoras com: as crianças , seus familiares e responsáveis; ü Conhecer e reconhecer as dependências do CEI para a organização dos momentos/ tempos; ü Estabelecer contato com a rotina do CEI ü Reconhecer e identificar as professoras, funcionários e o grupo e sala de seu filho (a) ü Reconhecer alguns pais e funcionários pelo nome e suas funções. CONTEÚDO ü Familiarização com o novo ambiente ü Percepção de si e dos demais que dividem o mesmo espaço ü Separação da família com tranquilidade por uma parte do dia ü Garantir e situar às crianças quanto ao momento de retorno para junto aos seus (familiares ou responsáveis) ETAPAS DO TRABALHO: GESTORES: Realização do Encontro de pais, professoras e funcionários antes do inicio de atendimento das crianças, com apresentações dos funcionários e descrição das atribuições que desenvolvemos na Escola (rotina), destacando as normas de convivência e período de adaptação. PROFESSORAS: Continuar a reunião em sala entregando material necessário para inicio das atividades e explicando a importância da adaptação nos primeiros meses e a necessidade de participação dos pais nesse processo. E planejamento das atividades aplicáveis. ATIVIDADES PROPOSTAS Nesta etapa, devemos “apostar” numa relação pessoal com o bebê, fazendo gestos na comunicação corporal. Como sugestão,brincar de: cosquinhas, carícias, pegar, esconde-esconde, canções, etc. Que comecem também a manejar o material da sala de convívio, mas sem misturas: torres, construções, telas, bola, etc. Respeite o jogo livre sem dar muitas ordens, aproveitando para observar seu comportamento. Que a refeição, descanso e trocas, não se convertam em algo rotineiro, dado que são momentos importantes para estabelecer uma comunicação individual (evitar pressas, nervosismo, etc.). Que o bebê possa manipular a comida até realizar com o novo objeto: a colher. Aproveitar os momentos de troca, para conversar com eles, cantar, nomear as partes do corpo ao mesmo tempo que as tocas. O descanso deve ser um momento de relaxamento e tranquilidade com músicas e canções suaves. (Atividades descritas no planejamento da professora). Outras atividades: a) Cantinho acolhedor: Pedir aos pais que enviem na mochila da criança um objeto em que a criança tenha vivência em casa ( brinquedo, cobertinha, bichinho de pelúcia, pano....) b) Os pais trarão uma foto da criança com alguém do convívio familiar para que a criança sinta no CEI uma pequena extensão de sua casa na instituição para elaborarmos uma cópia para fazer a confecção de um painel para anexar ao cantinho acolhedor; c) As fotos originais serão coladas no caderno (portfólio) individual da criança; d) Pesquisa através de um questionário que os pais responderão sobre aspectos da vida da criança para facilitar e personalizar a adaptação; e) As crianças acordarão com músicas clássicas num momento tranquilo; f) Dança com Músicas infantis; g) Confecção com os pais de uma pintura mágica para colocar no álbum da criança; h) Brincadeiras com bolas e bonecas; i) Contação de histórias diariamente; j) Brincadeiras com bexigas coloridas; k) Brincadeiras com motocas no solário; l) Caminhar todos os dias pelos espaços do CEI para reconhecimento; m) Chuvinha de papel picado; n) As crianças levarão um saquinho com bala de goma no último dia da semama; MATERIAIS: CDs, DVDs, brinquedos, folhas variadas, tintas, pinceis, canetinhas, giz de cera, sucatas, fotos, massa de modelar, areia, água e outros. Também utilizaremos: ü Sala de convívio e solário, como espaço individual ü Área externa, sendo: Parque I, parque II, parque III (brinquedos fixos e espaço verde) e teatro de arena; ü Espaço coletivo interno: sala de atividades piscina de bolinhas, cantinho de leitura e TV como 2ª opção em caso de impossibilidade de uso dos espaços externos ou com projeto de trabalho, teatro de fantoche, triciclos, bicicletas, kits educativos de SME e outros. AVALIAÇÃO: Será realizada de forma contínua e sistemática durante todo o desenvolvimento do projeto, através de observações e acompanhamento das atividades propostas, considerando as capacidades e individualidades de cada criança. Nosso foco na fase de adaptação é a observação. Avaliaremos individualmente cada criança através da observação e com registros diários (registro escrito e fotográfico) e durante o período de adaptação de cada criança faremos um acompanhamento para informar aos familiares (conversas diárias e entrega da cartinha – atividade trabalhada) e conclusão em impresso ao seu término, com assinatura dos responsáveis pela criança e demais envolvidos. Faremos um relatório geral, no término do período de adaptação do CEI com intenção de registrar os pontos positivos e negativos visando aprimorar o processo para o ano seguinte. BIBLIOGRAFIA Consultoria: Clélia Cortez - Formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo. Edwards, Carolyn. As cem linguagens da criança- ARTMED Bassedas, Eulália. Aprender e ensinar na Educação Infantil - ARTMED Referencial Nacional para a Educação Infantil, MEC, 1998. Orientações Curriculares: Expectativas de Aprendizagem e Orientações Didáticas para a Educação Infantil, PMSP - SME/ DOT, 2007.

Atividades Portfólio Berçário

Atividades para Portfólio Berçário turmas de 2 e 3 anos Pesquisando aqui e ali sobre atividades para Berçário consegui um slide muito especial da professora Simone com sugestões de atividades para Portfólio ,com tudo que você vai precisar para montar o de sua turma. Dentro de um slide estavam as sugestões de atividades com os enunciados que eu aproveitei para montar este modelo para vocês. Na capa vocês podem colar uma foto da criança e escrever seu nome. A borda eu deixei separada em branco para que vocês possam colocar o que mais for necessário como ficha de desenvolvimento, objetivos, procedimentos metodológicos, recursos, fotos dos momentos especiais, etc... Segue abaixo as atividades e a capa do Portfólio

sexta-feira, 17 de abril de 2015

MEUS TRABALHOS

Consultoria Pedagógica Google + https://plus.google.com/u/0/109783730794470089210/posts blog http://elizianelongarai.blogspot.com.br/ twitter https://twitter.com/lizelongarai wordpress.com http://consultoriaelizianelongarai.wordpress.com/ facebook https://www.facebook.com/pages/Eliziane-Longarai elizianelongarai.webnode.com http://elizianelongarai.webnode.com/ http://consultoria-eliziane-longarai.webnode.com/ http://lizelongarai2.wix.com/elizianelongarai http://elizianelongarai.wix.com/eliziane

Meu Site

http://elizianelongarai.wix.com/eliziane

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Desenvolvimento da criança - 02 anos e 03 anos

Dos dois anos aos 03 anos ,a criança mostra certa independência, é capaz de realizar atividades mãos complexas e relacionar-se mais facilmente com adultos ou com crianças. Desenvolvimento físico-motor: - Abre e fecha portas (com trinco somente);- Sobe e desce a cama sozinha;- Sobe as escadas colocando os pés em cada degrau; - Corre relativamente bem;- Participa despir-se e descalçar-se;- Rabisca numa folha grande de papel;- Encaixa os cubos em diferentes dimensões. - Continua aprendendo a coordenar o músculos maiores, por meio de atividades repetitivas;- Sente prazer em correr e pular; - No desenho, encontra-se na fase da rabiscação celular (começam a aparecer as primeiras formas circulares, ainda sem intenção definida);- Geralmente tem controle esfincteriano;- Pode agarrar bolas com as duas mãos; - Pode construir uma torre de 09 a 10 blocos;- Pode abotoar, mas não desabotoar; Desenvolvimento mental - Desenvolvimento Cognitivo: - Identifica algumas cores, embora não cite seus nomes;- Conhece seu próprio nome; - Repete palavras, com alguma correção; - Reconhece objetos de pessoas vistas cerca de dois meses antes; - Forma frases com duas ou três palavras, apresentando aumento de vocabulário; - Começa a formar frases negativas e interrogativas;- Inicia o emprego do “quem”. - Começa a formar sentenças mais longas com três ou quatro palavras;- Gosta de perguntar e repete constantemente as mesmas perguntas não só para confirmar as informações recebidas, como pelo prazer do diálogo;- Só ouve e compreende de fato o que lhe é dito diretamente;- Gosta de inventar nomes para as pessoas e objetos;- Gosta de inventar histórias, que conta como verdadeiras, sem intenção de mentir;- Pode comparar tamanhos;- Começa a usar números com significados;- Começa a aprender cores e figuras; - A duração da atenção depende do interesse na atividade;- Pode aprender semelhanças e diferenças; - Pode lembrar e seguir ordens de dois passos (duas etapas);- Começa a entender direções (embaixo e em cima); - Interessa-se pelo funcionamento das coisas e como elas são usadas;- Começa a interessar-se por usar palavras que definem tempo (merenda, recreio, parquinho);- Pode falar até dez, embora só possa contar dois objetos; - Conta até 5 (por repetição e memorização, sem que isso signifique que compreenda);- Começa a entender o significado de “mais”.- Gosta de falar, usa palavras corretamente e relaciona palavras com ações;- O vocabulário é geralmente de 750 palavras;- Entende e usa palavras abstratas como: em cima, embaixo, agora, depois;- Expressão comum: “eu não sei”;- Ri muito;- Gosta de cantar;- Conversa com adultos, mas sempre está interessada em suas respostas;- Responde corretamente quando lhe perguntam sobre o que faz uma criança com fome, frio ou cansada; Desenvolvimento sócio emocional: - Reconhece expressões fisionômicas;- Reconhece a mãe em fotografias; - Compreende ordens negativas e proibições;- Necessitar estar sempre ocupada;- Necessita muito da assistência da mãe ou substituta;- É negativista (gosta de ser do contra, ou recusar, protestar);- Começa o Desenvolvimento Emocional - Pode algumas vezes usar palavras para dizer sentimentos;- As vezes faz birra; - Pode ter ciúmes duradouro;- Mostra crescer em independência, ressentindo interferências; - Pode expressar raiva por meio de uma atividade física;- Está mais aberta a falar palavras; - Gosta de elogios e aprovação;- Busca mais amizades, com adultos e crianças, mas ainda gosta de brincar sozinha; - Torna-se perceptiva e reage a expressões de outros;- Começa a entender o significado de certo e errado; - Gosta de agir e fazer atividades de adultos (jogos dramáticos);- Mostra confiança e amor com palavras e ações; - Pode ter um companheiro de brincadeira imaginário – coisas imaginarias parecem ser bem reais; - Aparecem sentimentos de medo: cachorro, escuro,palhaço,barulho,chuva, etc; - Não aceita alterações em suas rotinas, o que ocasiona conflito com outras crianças ou adultos; - Fala sozinha, praticando a linguagem e dando forma a imaginação;- Aparecem as dificuldades para a alimentação e o sono;-Procurar um companheiro para brincar ( sociabiliza)- Pode algumas vezes usar palavras para dizer sentimentos;- As vezes faz birra;- Pode ter ciúmes duradouro;- Mostra crescer em independência, ressentindo interferências;- Pode expressar raiva por meio de uma atividade física;- Está mais aberta a falar palavras; - Gosta de elogios e aprovação;- Busca mais amizades, com adultos e crianças, mas ainda gosta de brincar sozinha; - Torna-se perceptiva e reage a expressões de outros;- Começa a entender o significado de certo e errado; - Gosta de agir e fazer atividades de adultos (jogos dramáticos);- Mostra confiança e amor com palavras e ações; - Pode ter um companheiro de brincadeira imaginário – coisas imaginarias parecem ser bem reais; - Aparecem sentimentos de medo: cachorro, escuro, etc;- Não aceita alterações em suas rotinas, o que ocasiona conflito com outras crianças ou adultos;- Fala sozinha, praticando a linguagem e dando forma a imaginação; - Aparecem as dificuldades para a alimentação e o sono; Eliziane Longarai Pedagoga
Sexualidade na Infância Como lidar com a fase em que as crianças pequenas mostram-se curiosas em relação à sexualidade e as diferenças entre os amiguinhos? Antes de tudo, é importante uma auto avaliação sobre os seus sentimentos e conflitos e como encara o assunto: com naturalidade ou como tabu? Caso perceba ter dificuldade, buscar ajuda e orientação é a melhor solução, como forma de adquirir argumentos sensatos e tranquilos quando a criança buscar informações. Entre três e quatro anos de idade começam as primeiras comparações. É a fase em que, livre da fralda e com uma percepção do corpo mais aguçada, a criança começa a notar diferenças entre ela e seus amiguinhos. Como esta é uma idade em que a criança tende a explorar tudo o que a deixa curiosa, não serão raras as vezes em que poderão acontecer cenas de masturbação ou jogos sexuais entre os pequenos. Lidar de forma tranquila significa, acima de tudo, não mentir e nem se mostrar desconcertado. Usar uma linguagem clara e objetiva, respondendo exatamente ao que a criança perguntou, não sendo necessário estender demais a explicação. Muitas vezes, diante de uma resposta simples, porém clara, a criança se contenta e muda de assunto. E caso ainda haja dúvida, não se preocupe, a criança demonstrará e continuará com o interrogatório até que esteja satisfeita. Caso se depare com cenas inusitadas, como atos de masturbação ou jogos sexuais em que os amiguinhos se tocam, é muito importante não demonstrar horror e evitar punições severas, o que pode ocasionar conflitos na vida sexual quando a criança tornar-se adulta. Não ensinar que é algo errado ou sujo, mas sim, com naturalidade, desviar a atenção para outras atividades quando ocorrerem os tais jogos sexuais entre as crianças ou explicar, no momento em que a criança estiver masturbando-se que este é um momento íntimo que requer privacidade e que deve ser feito quando ela estiver sozinha. Simples assim. A criança não faz associações eróticas às sensações e curiosidades relacionadas ao seu corpo. É apenas curiosidade pura, em uma fase em que saber como nascem os bebês ou como funciona o computador tem o mesmo peso para ela. Ela está, apenas, querendo aprender. É uma descoberta saudável e importante para o desenvolvimento da sexualidade adulta. Eliziane Longarai Pedagoga

domingo, 5 de abril de 2015

A importância do calendário escolar

Aprenda a usar esta ferramenta que a escola oferece a favor de seu filho É importante consultar o calendário escolar para organizar o ano letivo dos filhos Assim que começam as aulas, uma das primeiras informações que todos recebem é o calendário escolar. É por meio dele que os alunos, os pais e os professores podem se organizar para saber quando haverá feriados, férias, passeios, festas, reuniões de pais, quando começam cursos extracurriculares e, o mais importante, quais serão os dias de aula letivos, aqueles em que ocorrem as atividades pedagógicas. "Se o valor da família é o estudo, a formação, ela vai usar o calendário para isso", diz Suzana Mesquita Moreira, coordenadora pedagógica da Escola Projeto Vida. "O caso de extensão de férias, feriados e o crescente número de faltas dos alunos tem nos preocupado cada vez mais", alerta Luciana Fevorini, diretora escolar do Colégio Equipe, em São Paulo. "Às vezes os pais justificam, dizem que o aluno ganhou a viagem da avó, mas não tem desculpa, é preciso respeitar o calendário escolar. Poxa, já tem julho, dezembro e janeiro! Será que não dá para se programar para viajar nesta época? Os pais precisam entender que cada dia de aula é importante para a grade curricular porque a aprendizagem é um processo e quem perde uma aula pode não acompanhar depois! E normalmente o aluno que repete de ano é aquele que faltou muito", explica Luciana. Vale ressaltar que toda escola segue um calendário letivo próprio, aprovado pela Secretaria de Educação. Porém as instituições não têm a obrigação de divulgá-lo para os pais. Se a escola não costuma disponibilizar esta informação, os pais podem solicitar o calendário junto à Secretaria responsável.

Maria Montessori

Maria Montessori Quando viveu De 1870 a † 1952Onde nasceu Chiaravalle, Itália O que pensou Destacou a importância da liberdade, da atividade e do estímulo para o desenvolvimento físico e mental das crianças. Para ela, liberdade e disciplina se equilibrariam, não sendo possível conquistar uma sem a outra. Adotou o princípio da autoeducação, que consiste na interferência mínima dos professores, pois a aprendizagem teria como base o espaço escolar e o material didático. Frase "A tarefa do professor é preparar motivações para atividades culturais, num ambiente previamente organizado, e depois se abster de interferir" O que ler Educação Montessori: de um Homem Novo para um Mundo Novo, Izaltina de Lourdes Machado, 90 págs., Ed. Pioneira; Mente Absorvente, Maria Montessori, 318 págs., Ed. Nórdica (1949) Antes de ler Maria Montessori leia: Rousseau e John Dewey

Hannah Arendt

Hannah Arendt Quando viveu De 1906 a † 1975Onde nasceu Hannover, Alemanha O que pensou Para Arendt, educar é acolher as crianças em um mundo que existe antes de seu nascimento, mas que será renovado pelas novas gerações. Além disso, a educação deve contribuir para que as crianças desenvolvam sua singularidade. Frase “O conservadorismo, no sentido da conservação, faz parte da essência da atividade educacional, cuja tarefa é sempre abrigar e proteger alguma coisa”; “A escola não é de modo algum o mundo, nem deve ser tomada como tal; é antes a instituição que se interpõe entre o mundo e o domínio privado do lar” O que ler Entre o Passado e o Futuro, Hannah Arendt, 352 págs., Ed. Perspectiva. (1954) Antes de ler Hannah Arendt leia: Martin Heidegger e Kant

SUGESTÕES DE ATIVIDADES DESCOBRIMENTO DO BRASIL

DATAS COMEMORATIVAS DO MÊS DE ABRIL

PROJETO DIA DO ÍNDIO

PROJETO PÁSCOA ....

Feliz Páscoa !

Significado de Páscoa

Significado de Páscoa O que é Páscoa: Páscoa significa passagem. É a celebração mais importante da Igreja Cristã, onde se comemora a ressureição de Jesus Cristo. A Páscoa está inserida na Semana Santa, onde na "Sexta Feira Santa" é celebrada a crucificação de Jesus, e no "Domingo de Páscoa" se celebra a Ressurreição e sua primeira aparição para os seus discípulos. O dia da Páscoa, foi estabelecido por decreto do Concílio de Niceia (ano de 325), devendo ser celebrada no domingo, após a primeira lua cheia do equinócio, que ocorre no início da primavera, no hemisfério Norte. A Páscoa, da qual dependem todas as demais festas móveis do ano eclesiástico é uma festa móvel, varia o dia a cada ano e a data é sempre comemorada entre os dias 22 de março a 25 de abril. A Páscoa é comemorada em vários países. Os espanhóis chamam a data de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques. Para os judeus, a Páscoa (Pessach) é uma antiga festa realizada para celebrar a libertação do povo hebreu, do cativeiro no Egito. As festividades começavam na tarde do dia 14 do mês lunar de Nisan. Era servida uma refeição semelhante a que os hebreus fizeram ao sair apressadamente do Egito. Símbolos da Páscoa Um dos símbolos da Páscoa é o coelho. O animal tornou-se símbolo porque, em tempos antigos, no hemisfério norte, a celebração era exatamente no fim do inverno e o início da primavera, quando os animais apareciam nos campos, com seus filhotes, era a época da fertilidade. O ovo também é um símbolo da páscoa, pois representa o começo da vida. Vários povos costumavam presentear os amigos com ovos, desejando-lhes boa passagem para uma vida feliz..